Com Ozzy Osbourne, primeiro dia de Monsters of Rock atrai multidão em São Paulo

Ozzy

Tempo incerto, trânsito e uma fila que parecia não ter fim cercava a Arena Anhembi, em São Paulo, neste sábado, 26. O motivo? O Primeiro dia do festival Monsters of Rock – o maior do gênero na América Latina. Milhares de rockeiros, entre crianças, adultos e mais velhos, 99% vestidos de preto, foram até o local conferir os shows de Judas Priest e Ozzy Osbourne.

A quantidade de pessoas presentes no festival foi tão grande, que a estrutura montada, com centenas de sanitários químicos espalhados por todo o Anhembi não suportou. Muitos dos que não aguentaram pela sua vez na fila, decidiram urinar ali mesmo, frente a todos os outros que aguardavam – e não foram poucos. Como consequência, já durante a noite, o cheiro próximo ao palco era forte e, no chão, diversas poças e lixos espalhados.

Após várias apresentações ao longo do dia, o público contou com uma notícia bastante inesperada: a ausência do vocalista do Motorhead, Lemmy. Em comunicado oficial, a produção do festival informou que o músico, durante a manhã de sábado, passou por um sério distúrbio gástrico, seguido de uma forte desidratação e, por ordens médicas, foi impossibilitado de se apresentar. Para não deixar o público totalmente na mão, a banda se apresentou com a ajuda dos brasileiros Andreas Kisser e Derrick, vocalistas do Sepultura.

O descontentamento dos fãs, mediante a todo o transtorno de última hora, refletiu, infelizmente, na apresentação da banda Black Veil Brides, que já durante os primeiros acordes, foram recebidos com vaias e mais vaias. Constrangidos, a banda deixou o palco antes do tempo determinado.

Depois disso,  Judas Priest subiu ao palco para aliviar a tensão, trazendo um show poderoso – e para compensar a falta da atração anterior, cntou com um setlist mais extenso.  Rob Halford e sua voz estrondosa se espalhou por todo a passarela do samba, que na ocasião, era tomada por um desfile de metaleiros com sede de rock. O vocalista ainda prestou a sua solidariedade aos amigos do Motorhead, finalizando a apresentação com um “te amamos, Lemmy!“.

Já no final do dia, próximo das 22h30, chegou a vez da tão aguardada atração principal. A lenda do rock Ozzy Osbourne entrou em cena com o clássico “Bark At The Moon“, do disco homônimo de 1983. “Fairies Wear Boots” veio logo depois, para quem ansiava pelo momento Black Sabbath da noite, que também contou com “Iron Man” no segundo tempo.

No retorno ao palco, Ozzy, ainda no fundo, encorajava a plateia a pedir o bis. “Mais um! Mais um!“, gritava o cantor, sem aparecer. Na sequência, mais uma do Black Sabbath para os fanáticos, que cantaram “Paranoid” do começo ao fim.  A despedida ficou por conta de “Changes“, que no estúdio, conta com a participação de sua filha Kelly.

Em um resumo total, o show não teve muitas novidades para aqueles que já tiveram a chance ver o astro pessoalmente, mas ainda assim, é uma experiência que parece única a cada vez que acontece.