O "não-show" do Guns

Estava tudo preparado para o show secreto e intimista do Guns n’ Roses no clube Disco, quinta à noite, em SP.

Palquinho montado com bateria, teclado e percussão; setlist com 17 músicas (com “Paradise City” encerrando); vários fãs verdadeiros da banda no local (Marcos Mion, Ana Beatriz Barros, Daniella Cicarelli, Isabelli Fontana etc.); produtores do grupo à espera.

Aí, por volta da 0h30, alguém diz: “O Axl vai deixar o hotel [Hyatt] à 1h”.

À 1h, outro alguém avisa: “O Axl vai deixar o hotel às 2h”.

Aí às 2h30 surge o rumor: Axl estaria com dor de garganta e teria sido levado a um hospital. Pouco depois, os equipamentos começam a ser desmontados.

Lá dentro, brigas. Endinheirados revoltados se socando; uma modelo tentando bater na outra com uma garrafa de champanhe… Do lado de fora, mais confusão, correria, xingamentos. Uma equipe do Pânico foi agredida; dois seguranças da casa pularam uma cerca e foram atrás de um rapaz.

Segundo o próprio Marcos Mion, um dos sócios da casa, outro dos donos da Disco, Marcos Maria, brigou com os seguranças da banda, que estavam levando os instrumentos que o clube havia locado. Que beleza.

E assim foi o “show secreto” do Guns na Disco.

Fonte: Folha

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here