Sessão de autógrafos com Dulce María na Fnac, em São Paulo, acaba em confusão, caso de homofobia e carros de polícia

Dulce María Fnac Confusão

No Brasil para única apresentação de sua turnê “Sin Fronteras On Tour”, a cantora e atriz mexicana Dulce María aproveitou a estadia no país para divulgar a segunda edição do seu livro “Dulce Amargo”  em uma das unidades da loja Fnac, localizada em Pinheiros, na cidade São Paulo.  A sessão de autógrafos programada para este domingo, 19, foi marcada por uma grande confusão, e foi preciso a intervenção da polícia militar para acalmar os quase 200 fanáticos que não conseguiram acesso ao evento.

Marcado para às 19h, a sessão de autógrafos alcançou o limite máximo de pessoas – estimado em 150 entradas – ainda pela madrugada, quando uma imensa fila se formou ao redor do estabelecimento. De acordo com o regulamento pré divulgado pela loja, as senhas seriam distribuídas apenas a partir das 15h deste domingo, mediante a compra de um exemplar. Mas segundo relatos de fãs, não houve organização no momento em que as senhas foram entregues, e muitos que haviam sido os primeiros da fila, saíram de lá sem o tão esperado autógrafo. “É uma injustiça o que fizeram com a gente. Nós que chegamos aqui muito antes, e ficamos de fora. A Fnac informou que não seguiria nenhuma lista, e sim a ordem de compras, mas temos vídeos e fotos dos seguranças seguindo a ordem de uma lista que foi entregue por outros fãs“, relata o estudante Marcelo.

Alterados, os fãs que tentaram obter uma justificativa da organização foram retirados pelos seguranças. E em meio à toda confusão, um flagrante de homofobia deixou o clima ainda mais tenso : um dos fãs, ao caminhar para fora da loja, foi agredido verbalmente por um dos seguranças da Fnac. Ainda dentro do estabelecimento, o segurança não se intimidou e chamou o garoto, que preferiu não se identificar , de ‘viadinho‘. Minutos depois, 4 carros da polícia militar foram acionados até o local. Uma conversa rápida aconteceu com a produção, e logo foram liberados.

A ex-RBD chegou à loja com quase duas de hora de atraso, e não foi vista durante a entrada. Os 150 fanáticos que conseguiram suas senhas, aguardavam o evento em um estacionamento, sob uma chuva fraca que caiu durante a noite.

*A equipe do Portal da Música, que havia sido credenciada com antecedência pela Fnac, ao chegar no local com todo o equipamento preparado, foi impedida de realizar o trabalho, e convidada à se retirar da loja. A responsável pelos eventos, Beatriz Saghaard, que já  havia permitido a cobertura, informou somente no local que não seria possível nenhum tipo de acesso.

COMPARTILHAR