Considerada uma das melhores vozes do pop nacional, Gloria Groove é um dos grandes destaques da safra de drag queens que vêm conquistando espaço na música, junto a nomes como Pabllo Vittar, Lia Clark e Aretuza Lovi.

A sua música, “Bumbum de Ouro”, se tornou um dos maiores sucessos do último carnaval e já soma mais de 60 milhões de visualizações no YouTube. Sem contar as parcerias com nomes como IZA, Léo Santana e Lexa.

Agora, Gloria Groove do Brasil, como é conhecida, se prepara para lançar o seu novo single, “Coisa Boa“, que ganhará um videoclipe produzido por Felipe Sassi, dentro de um presídio desativado em São Paulo.

Mas antes, em entrevista ao Portal da Música, Groove falou sobre a faixa, projetos futuros e também sobre a importância da representatividade no momento atual do país. Confira:

Bumbum de Ouro foi um dos grandes sucessos do último carnaval em todo o país. Como é, para você, esse processo criativo em busca de um novo single? Existe uma cobrança interna para se superar a cada música?
Sem sombra de dúvidas. Estou sempre competindo comigo mesma. Dessa vez foi diferente pois além de um hit, eu queria sair do estúdio com uma mensagem forte. Nem sempre é fácil fazer as duas coisas caminharem juntas.
No vídeo divulgado nas suas redes sociais, vemos que o clipe de “Coisa Boa” se passa dentro de um presídio. Pode nos contar um pouco mais sobre o conceito?

A ideia foi do fantástico Felipe Sassi, roteirista e diretor do vídeo, que já é meu parceiro há algum tempo. A intenção era transpor a ideia de que, independente da situação de opressão que podemos nos encontrar, cabe a nós sermos fiéis a nossa autenticidade e poder. Foi muito incrível gravar num local desativado há mais de 15 anos, apesar do clima evidentemente denso. Uma experiência inédita.
Em pouco tempo de carreira, você já soma parcerias com IZA, Léo Santana, Lexa, Pabllo… Quais outros artistas você gostaria de gravar?

Ainda quero muito gravar com Liniker, Rico Dalasam, Karol Conka, Ludmilla… Sou fã!

Existem planos para um novo EP ou disco?
Com certeza. Já dei início ao projeto e ele pode estar mais perto do que a gente imagina…
Ao mesmo tempo em que o Brasil enfrenta conflitos relacionados à diversidade e falta de apoio à comunidade LGBTQ+, principalmente na política, o país também teve uma ascensão de cantoras drags no último ano, que dominaram as rádios e a internet e reformularam a cena pop brasileira. Como você enxerga e avalia isso?
Nunca foi tão importante a ascensão do nosso cenário como neste momento. O sucesso de um LGBTQ+ se ressignifica quase que completamente quando vive-se em tal clima político. Além de sacudir o mercado fonográfico, nossas vozes servem de amplificador para discursos historicamente marginalizados.